11 de set de 2008

•·.·´¯`Música e Habilidades´¯`·.·•
Música pode entreter, motivar, inspirar e acalmar. Pesquisadores revelam que a música também pode melhorar o modo de pensar e raciocinar, mostrando como o cérebro funciona. Desde a descoberta do "Efeito Mozart", em que o cientista Gordon Shaw descreveu a relação entre a música ativa - desenvolvida e tocada, não apenas aquela que se ouve - e a inteligência, ficou comprovado que a educação musical melhora o desempenho de crianças e adolescentes em testes, e principalmente nos exercícios de lógica e matemática. O raciocínio espacial-temporal envolvem transformam e comparam imagens mentais em espaço e tempo, cruciais na hora de jogar xadrez, resolver equações matemáticas e operar um computador. As pesquisas científicas durante 30 anos na Universidade da Califórnia, já mostravam como esses processos são parecidos com aqueles encontrados na pessoa que toca música. Sabe-se que tocar um instrumento exige muito da audição e da motricidade fina das pessoas, e que a prática musical faz com que o cérebro funcione em rede. Quando se aprende a tocar um instrumento, isso potencializa o aprendizado como um todo, principalmente no que se refere ao raciocínio lógico, memória e noção de espaço. A educação musical deveria estar disponível a todos os estudantes, como parte de um projeto educacional integrado. A melhor época para se aprender a tocar um instrumento é durante o Ensino Fundamental, já que a combinação de disciplina, concentração, socialização e criatividade é uma herança que o aluno deverá cultivar para toda a vida. Hoje, cerca de 70% dos alunos que aprendem música já são crianças maiores e mesmo adolescente. Estudos da Escola de Medicina de Harvard, nos Estados Unidos, revelaram que, ao comparar cérebros de músicos e não-músicos, os do primeiro grupo apresentavam maior quantidade de massa cinzenta - principalmente nas regiões responsáveis pela audição, visão e controle motor. E.G.Schellenberg e colaborador, psicólogos da Universidade de Toronto, Canadá submeteram com crianças de ambos os sexos com 10 a 11 anos, a dois tipos de testes: primeiro ouviram músicas pop, músicas de Mozart e palestras sobre música, e depois foram submetidas a um teste em habilidade manuais e espaciais. O grupo de crianças que saiu-se melhor nesses testes eram aquelas que ouviam com prazer a música pop. Segundo os cientistas isso significa que ter prazer em ouvir música também estimula os neurônios.

Fonte: http://www.colegiosaofrancisco.com.br/alfa/bem-estar-musicoterapia/musicoterapia-2.php

Nenhum comentário:

Postar um comentário